História

A Freguesia de Luso e a sua História

As origens da Vila Termal de Luso perdem-se na noite dos tempos. Terra de águas límpidas e férteis, foi só no Século XIX que começaram a originar notícias públicas de curas e a atrair a atenção dos mais variados quadrantes da sociedade de então. Com o desenvolvimento das termas e a eterna e profícua aliança com a pureza dos ares do Bussaco, não tardou que esta vila se tornasse destino de férias de ricos e notáveis, alguns dos quais construíram aqui residências de férias, transpondo para o Luso, durante os meses de estio, as festas, a moda e o glamour da sociedade burguesa da época.

No final do século XIX, pela mão de Emídio Navarro, então Ministro do Rei D. Carlos, o Luso recebeu o impulso que faltava e foi talhado definitivamente para se tornar uma vila turística de referência e importância nacional. Foram criadas novas ruas e avenidas, remodelaram-se e ampliaram-se as instalações termais e foi construído o palácio do Bussaco (na altura apelidado de "modesto pavilhão de caça").

 A qualidade das suas instalações, a pureza dos ares e nobreza da paisagem, o profissionalismo e simpatia das suas gentes e a preocupação meticulosa com a conservação de uma atmosfera de charme e ordenamento paisagístico, fizeram da nossa vila um marco do turismo nacional durante todo o século XX e estamos certos, que pela mão de todos os que dela gostam, conseguiremos fazer o mesmo no mundo globalizado do Século XXI.

Localização

O Luso situa-se no centro do país, servido por excelentes acessibilidades, quer sobre o eixo Lisboa-Porto (A1, IC2, CP-Linha do Norte), quer sobre o eixo Figueira da Foz-Vilar Formoso (IP3, CP-Linha da Beira Alta).

A sua centralidade relativamente ao país, coloca-o ao alcance em menos de 1 hora de viagem a partir de, por exemplo: Porto, Coimbra, Aveiro, Viseu, Figueira da Foz, Conimbriga, Caramulo, Serra da Estrela, Mealhada, Curia, Penacova, Batalha, Leiria, Fátima, Vila Nova de Gaia, Vila da Feira, Arouca, S. Pedro do Sul, Mortágua, Arganil, Lousã…

 

 

Caracterização física

A Freguesia de Luso estende-se numa mancha de 1.887 ha, com 2.551 habitantes (Censos 2011), distando da sede de concelho aproximadamente 6 Km.

Assim sendo, a Freguesia de Luso é predominantemente urbana, com alguns lugares um pouco rurais:

Carvalheiras, Louredo, Várzeas e Bussaco – Agro-Florestais;

Monte Novo e Salgueiral e Barrô – Rurais;

Lameira de São Pedro e Santa Eufémia – Periurbanas.

 

 

 

A freguesia como pólo de desenvolvimento

Terra de contrastes, como tantas outras, o Luso tem orientado as suas oportunidades de desenvolvimento assentes nos seguintes pilares:

Alojamento e restauração

Saúde em bem-estar aliado às vantagens do termalismo clássico

Natureza e monumentalidade

 

Cientes de que num mundo globalizado e concorrencial, não basta aguardar como antigamente, que os turistas cheguem por sua auto-iniciativa, é necessário encontrar acções positivas e parceiros competentes para se chegar aos novos mercados-alvo.

Ao estar no centro do país, servido por uma extensa rede rodo ferroviária pertencente quer ao eixo Lisboa-Porto, quer ao eixo de acesso a Espanha e ao resto da Europa e encastrado no centro do polígono formado pelos agregados populacionais de Coimbra, Aveiro e Viseu, o Luso é, face aos modernos modelos de investigação operacional, uma localização ÓPTIMA para todos os negócios ligados ao sector dos serviços e comercio.

Existe todo um role de oportunidades ligado à promoção turística, “turismos de natureza” e actividades radicais, Condo Hotels, Apart Hotels, Real Estate e e-business que podem e devem ser desenvolvidas neste local, tantas vezes chamado de “Sintra do Norte” ou “Suíça de Portugal”. O Luso é um diamante em que ainda há uma infinidade de faces por lapidar e em que são bem vindos por parte das autarquias, todos os projectos de qualidade e futuro e que visem fixar populações com o know-how próprio de quem quer ser líder no Século XXI.